quinta-feira, 27 de abril de 2017

O cristão pode vender bebidas e cigarros?


Este tema é muito complexo, eu acredito que alguns são a favor e outros são contra cada um vai apresentar seu argumento. Vamos analisar alguns pontos. Em (Habacuque 2.15) está escrito: "aí daquele que der de beber ao seu companheiro". Mas esse dar de beber podemos entender que não seja a mesma coisa de um dono de supermercado que tem bebida alcoólica para vender e compra quem quiser, vender bebida no mercado não é o mesmo que fabricar, o fabricante tem que divulgar a bebida e motivar as pessoas a tomarem, isso sim é pecado, veja como são as propagandas de cerveja na mídia, além de motivarem as pessoas a tomarem, expões mulheres sensuais induzindo os homens a cobiça, se um fabricante de bebidas se converter ele terá que mudar de ramo.

 Em (Romanos 1.32) "Paulo disse... que são dignos de morte o que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também consciente aos que as fazem". Consentir significa apoiar, apreciar, se divertir, ter participação no pecado alheio. Aí se encaixa na passagem de (Habacuque 2.15) pois o fabricante terá que induzir as pessoas a tomar a bebida, da mesma forma o cigarro, um fabricante terá que parar e mudar de ramo.


Paulo quis dizer na passagem lida que as pessoas que se divertem, sentem prazer no pecado alheio, apoia o erro dos outros ou induz as pessoas ao erro, terão a mesma condenação mesmo sem praticar pessoalmente. Não podemos nos divertir com cenas de novelas e filmes imorais, bem como programas e literaturas imorais senão teremos a mesma condenação que eles. Não podemos induzir as pessoas ao erro os induzindo a qualquer tipo de pecado, incluindo a bebida alcoólica conforme explica (Habacuque 2.15) senão teremos a mesma condenação que eles. Fomos chamados para pregar o evangelho para eles e não para participarmos dos seus erros.


 Profissões e atividades que induzem as pessoas a cometerem erros é pecado, como fabricar coisas para pessoas pecarem como cigarros e bebidas alcoólicas, empresas que induzem as pessoas ao pecado como motel. Mas não é a mesma coisa trabalhar de porteiro em um motel ou ser dono do motel, trabalhar na fábrica de bebida não é a mesma coisa que ser o dono da fábrica ou ser o dono do mercado que vende a bebida, cada um desses desempenham um papel diferente um do outro.


 Imagine se o dono de uma rede de supermercado se convertesse ao evangelho, se ele tirasse as bebidas suas vendas iam cair pois muitos que vão lá não compram apenas bebidas, mas outros produtos também, muitos não iriam mais lá por não ter sua cervejinha. No meu ver é errado ser dono de estabelecimentos específicos que induzem ao pecado, como fábricas de bebidas e cigarros, revista pornográfica, donos de sites pornográficos. etc... 


Lembrando que Paulo disse que serão condenados os que fazem e os que consentem. Devemos ter conhecimento da palavra de Deus senão corremos o risco de estarmos em pecado até mesmo sem saber e correndo o risco de perdermos a nossa salvação.


Autor:Edinilson Queiroz

Pesquisar este blog